Capítulo 41 – Wake me up when september ends

O relógio na parede soou às nove da noite e Changmin o fitou ansioso. Era uma noite estrelada, com uma brisa fresca que mais lembrava uma cidade praiana e deixava o rapaz ainda mais nostálgico. Era seu aniversário de dois anos de namoro e lá estava ele na cozinha, de um lado a outro preparando um jantar para seu namorado. Ao contrário do que ele fizera da última vez, ele não precisou de desculpa alguma para tirar seu namorado de casa aquela noite.

Naquela noite, Kyuhyun teria um encontro na casa de Siwon com o reitor da faculdade e um editor de uma famosa revista científica que se interessara por seu artigo. Não era comum os editores se juntarem aos escritores, no entanto, o homem havia se surpreendido com a idade jovial do autor do artigo ainda inacabado. Naquela noite, Kyu ainda tinha assuntos a tratar com Siwon e o reitor com um de seus projetos, o que dava a Changmin tempo de sobra para preparar o jantar.

Os condimentos estavam devidamente misturados e se juntaram ao creme de leite, formando um molho pesado e colorido. Logo este foi parar na vasilha onde o macarrão parafuso estava disposto. Algumas pitadas de queijo ralado em cima e o macarrão podia ir ao forno, até que o queijo estivesse devidamente gratinado. Ele até cogitou fazer outro prato, no entanto, seu primeiro jantar surpresa fora um macarrão e ele queria mostrar ao seu namorado como seus dotes culinários haviam mudado.

Changmin havia investido em um vinho italiano do porto para aquela noite, que pela dica do dono do vinhedo, combinava perfeitamente com a massa que ele havia preparado. Aquela garrafa havia custado-lhe uma nota, mas ele quase conseguia ver o sorriso de Kyuhyun e ouvir seus elogios à bebida. Changmin preparou uma salada, colorida, enfeitada, misturando vários tipos de verduras e legumes em uma travessa decorada.

Quando o queijo já estava dourado, Changmin desligou o forno. Ele lavou a louça sem pressa, cantarolando e lembrando-se de seu dia. Ele acordou ao lado de seu amado e não o parabenizou, pois desejava surpreende-lo mais a noite. Kyu tampouco tocou no assunto, o que fez Changmin concluir que, ou o rapaz preparara-lhe uma surpresa, ou havia se esquecido. O esquecimento de Kyuhyun não seria nada estranho com a quantidade de tarefas que eles tinham para resolver aquela semana.

Durante a tarde no trabalho, Changmin convenceu-se de que seria uma coisa boa Kyu ter esquecido do aniversário, pois assim a surpresa poderia ser ainda maior. Ele mal via a hora de ver aquelas orbes amendoadas fitando a mesa que ele preparava com tanto carinho. As taças de cristal perfeitamente dispostas ao lado dos pratos grandes e rasos. Dobrados ao lado, guardanapos de pano bordados, um presente de Donghae durante a mudança.

No centro da mesa, Changmin colocou um belo candelabro. Era dourado e decorado, o que mais lembrava os adornos usados nas novelas e filmes de época. As três velas brancas foram colocadas nos suportes, permanecendo apagadas até a chegada de seu amado. A toalha estava impecávelmente branca, com adornos azuis em suas barras que caiam para o lado da mesa retangular, combinando perfeitamente com os guardanapos.

Ele olhou no relógio e eram nove e meia. Changmin checou seu celular, mas nem sinal de seu namorado, assim, ele tratou de tomar um banho. Na saída ele trajou roupas casuais, mas ainda assim bonitas, uma vez que ele desejava estar bonito aos olhos de seu amado. Um pouco de perfume em seus pulsos, os cabelos devidamente penteados e a barba feita, deram conta de seu visual para a noite.

Changmin deixou o quarto organizado, a cama estava confortável para o que viria a seguir, com o que ele usaria sobre o pequeno criado-mudo. O rapaz suspirou em expectativa, e voltou para a sala, checando o relógio na parede que indicava dez horas. Seu namorado não devia demorar a chegar, apesar de ainda não ter dado-lhe notícias via celular. Changmin então mandou-lhe uma mensagem:

“Não demore, meu príncipe, estou com saudades.”

E assim que a menção de enviada apareceu na tela ele tratou de terminar a mesa. O macarrão foi disposto no centro, o vinho ao lado do prato principal e finalmente estava tudo pronto a espera de Kyuhyun. Changmin sentou-se ansioso, fitando o relógio, sabendo que logo seu amado atravessaria aquela sala e sua noite seria perfeita, ao menos era isso o que ele esperava.

Em outro canto da cidade, Kyuhyun, alimentado com somente uma salada de frutas, analisava uma grande quantidade de livros. Tanto seu artigo, como o projeto de pesquisa de Siwon, chamaram a atenção do editor de uma das mais importantes revistas científicas da Coréia e o homem mostrou seu interesse em fazer um livro com os melhores artigos da revista, sendo o estudo de Siwon um grande candidato.

Ele levou-lhes todos os livros que já havia publicado e para um senhor de meia idade, eram muitos. Kyuhyun estava fascinado com aquele trabalho, tão desafiador e criativo, tão diferente de seu burocrático emprego no tribunal de contas. Eram dez da noite e ele bem sabia que aquela conversa ainda ia longe, mas aquilo não o incomodava, ele estava adorando estar na presença de pessoas tão interessantes.

No meio da conversa, Kyu recebeu uma mensagem de seu namorado, no entanto achou deselegante respondê-lo ali no escritório. Ele pediu licença e do corredor mandou uma frase que certamente tranquilizaria seu ansioso Changmin. Seu celular não voltou a vibrar dali para a frente e logo ele esqueceu da pressa de seu amado. Kyuhyun voltou ao escritório e logo voltou para a animada discussão sobre o novo livro daquela editora e sobre o projeto de Siwon, do qual ele entendia, porém não participava por falta de tempo.

Claro que a desenvoltura de Kyuhyun foi amplamente demonstrada naquele dia e Siwon não poderia estar mais orgulhoso de seu menino. Eles permaneceram lado a lado boa parte da noite, ajudando o editor a fechar uma única temática para seu livro que englobaria todos os artigos e cientistas que ele desejava. Claro que o homem terminou a noite com seu projeto muito melhor encaminhado, graças a esperteza de Siwon e Kyuhyun.

Quando o relógio bateu onze da noite, começaram as negociações para a publicação do artigo de Kyuhyun na edição especial do mês seguinte, em geral sobre a nova crise econômica. O artigo de Kyu chamara a atenção por não tentar prever o futuro, ou mostrar as melhores soluções e sim uma análise fria e completa dos fatos, unida com teorias clássicas que explicavam perfeitamente em que situação a crise se encontrava. Claro, o fato de Kyu ter um amplo vocabulário e escrever bem o ajudara naquele sentido e por isso, seu artigo seria mandado para a importante revista.

Às onze da noite Changmin olhou o relógio já não mais tão animado. O macarrão estava frio e não havia nem sinal de seu namorado além da mensagem de “não demoro” mandada uma hora antes. Ele se levantou da cadeira onde se acomodara e andou pela sala, esperando que a qualquer momento seu namorado a qualquer momento aparecesse por aquela porta, afinal até a meia noite ainda era seu aniversário de namoro e uma reunião de negócios não deveria demorar mais do que isso.

Kyuhyun receberia uma boa quantia por seu artigo publicado, além de um certificado da revista. Onze e meia da noite ele assinou um contrato afirmando que terminaria o artigo em um prazo estipulado e o entregaria a revista para a publicação, para só então receber sua remuneração. Siwon estava mais do que satisfeito com o desfecho daquela noite e naquele horário o editor saiu de lá, com dois projetos muito bem encaminhados com pessoas inteligentes e fáceis de trabalhar, algo difíceis nos dias atuais.

Eles ainda tinham um longo assunto para tratar com o reitor e aquela noite não estava perto de acabar para professor e aluno. O reitor viera àquele jantar com a proposta de Kyuhyun juntar-se a Siwon na equipe de pesquisa do ano seguinte, ou se possível aquele ano, para dar continuidade ao projeto do rapaz. Kyu não contaria que leu aquele trabalho já aos quatorze anos e o conhecia de cabo a rabo, no entanto, a proposta era mais do que tentadora.

A partir daí, eles passaram boa parte da noite, discutindo uma possível profissão para Kyuhyun na universidade ao lado de Siwon, o fazendo ver seu futuro com mais ânimo do que passar o resto da vida entre papéis e o computador lento do tribunal. A universidade é um campo que está em constante mudança, sempre em evolução e Kyu gostava dissso no meio acadêmico. E é claro, Siwon adoraria ter aquele garoto que vira crescer trabalhando ao seu lado. Ele estava feliz com aquela possibilidade, tanto quanto Siwon.

Fora uma longa conversa explicando para Kyu como funcionavam as coisas na universidade e certamente ele teria que ser treinado para dar aulas e palestras, o que de forma alguma o incomodou. Ele ainda via em Siwon o professor exemplo e se chegasse próximo ao que ele era, estaria mais do que satisfeito com seu desempenho. Isso sem falar nas ótimas oportunidades de ir para o exterior, assunto que deixou tanto Siwon quanto Kyuhyun demasiadamente constrangidos.

Meia noite e meia e Changmin ainda olhava o relógio, sentindo-se o pior ser humano do mundo. Ele estava em pé na cozinha, enjoado com o cheiro de seu próprio perfume misturado ao aroma de sua deliciosa comida ainda não provada. Um nó incômodo havia se instalado em sua garganta e ele era obrigado a suspirar para evitar seus olhos se encherem de lágrimas. Não havia dúvidas, ele havia esquecido e lá estava Changmin, como trouxa o esperando na cozinha.

Ele abriu a garrafa de vinho e serviu sua taça, engolindo o líquido de uma vez, sem saborea-lo, tampouco aproveitando a deliciosa consistência sobre sua língua como ele costumava fazer. A dor em sua garganta piorou e ele foi até a sala, caminhando de um lado a outro ainda à espera de seu namorado, óbviamente magoado com a certeza de seu esquecimento.

Era uma e meia da manhã quando o reitor deixou a casa de Siwon, pedindo desculpas por passar tanto tempo ali. O professor o levou até a porta, deixando Kyuhyun no escritório juntando suas coisas, entre elas, livros que ele ganhara de brinde do simpático editor. Siwon voltou a passos largos para o escritório e disse em tom animado:

– Você vai trabalhar comigo!!

Kyuhyun riu divertido e correu para abraça-lo, o agarrando pela cintura e escondendo o rosto contra si, enquanto frenéticamente meneava a cabeça afirmativamente.

– Ah, meu menino, estou tão orgulhoso de você! – Disse Siwon o envolvendo e acariciando seus cabelos. – Eu queria ter algo aqui para nós comemorarmos, mas não tenho.

– Tudo bem, eu não quero chegar em casa cheirando álcool, o Changmin pode entender mal. – Afirmou Kyuhyun. – Mas eu estou tão feliz, Wonie, tão feliz! Não vejo a hora de contar pra ele, e para o Donghae-hyung e para o Hyukie-hyung! Eles vão adorar saber!

– Eles vão ficar orgulhosos de você. – Disse Siwon o fitando se afastar para poder fita-lo. – Quer jantar? Eu posso preparar algo para nós dois.

– Já está tarde, Wonie, eu preciso ir pra casa.

– Ah, mas o Changmin não vai se importar se você comer uma torrada com geleia né? Anda, tem aquela de uva que você gosta, ou gostava.

– Eu adoro, mas não como há um tempo, me dá espinhas.

– Ah, mas hoje é uma ocasião especial.

Kyuhyun riu-se e se permitiu ser levado à cozinha que tanto conhecia. Siwon não se demorou ao preparar torradas em uma torradeira elétrica que ele trouxera da Inglaterra, e logo Kyu se lambusava com a geleia de uva que há anos não saboreava. Kyuhyun até desejava passar mais tempo com o professor, no entanto, há muito não ficava tanto tempo fora de casa sem Changmin ao seu lado.

Siwon o compreendeu quando logo após de comer o rapaz chamou um taxi e se despediu de si com um demorado abraço. Ele já estava satisfeito de ter passado aquela noite com Kyu e sabia que ele tinha um lar para onde voltar. Kyuhyun não demorou nada para chegar em casa, uma vez que as ruas estavam vazias e a econtrou sombria, somente a luz da cozinha acesa, o que ele estranhou.

A garrafa de vinho estava pela metade, no entanto, apenas uma das taças estava suja. Changmin estava sentado na cadeira, com o corpo estirado e girando a taça em suas mãos, fitando o líquido se mover de acordo com seus movimentos. As lágrimas haviam escapado de seus olhos, no entanto nenhum soluço fora solto, ele os prendera em seu peito, trancados com o cadeado de seu orgulho ferido.

O barulho da fechadura chamou sua atenção e os passos cautelosos de Kyuhyun foram captados por seus atentos ouvidos. Changmin virou o líquido em seus lábios, agora mais amargo do que nunca e se esticou deixando a taça sobre a mesa. Ele enxugou as lágrimas, mas sabia que seus olhos estavam avermelhados e ele não os esconderia, não quando tinham verdades a serem ditas.

Kyuhyun deixou a bolsa no apoio, e seguiu instintivamente a luz da cozinha, vendo sua sombra aumentar à medida que ele se aproximava. Ele viu a mesa, arrumada, com o jantar intocado sobre a mesma, com exceção de uma taça com um resto de vinho. A garrafa aberta, já pela metade e finalmente seu namorado, com os olhos vermelhos e o olhar fixo na porta, com uma feição que Kyu nunca vira em si. Kyuhyun buscou em sua memória o motivo daquilo, tentando entender a situação, mas enquanto sua mente trabalhava, Changmin disse em tom grave:

– Boa noite, Kyuhyun.

– Boa noite, Changminie. – Respondeu Kyuhyun inseguro, se aproximando da mesa. Ele havia deixado algo passar e bem sabia disso.

– Como foi a sua noite? Agradável?

– Foi sim. – Afirmou Kyuhyun. – Eu recebi uma proposta da faculdade, pra trabalhar lá, foi muito interessante. O-o que é tudo isso, Changminie? O que está acontecendo?

– Quer saber como foi a minha? – Disse Changmin lascivamente. – Eu cheguei em casa e me enfiei na cozinha, pra preparar para o meu namorado o melhor jantar da vida dele. Eu fiz uma massa, comprei um vinho caro que eu sabia que ele ia gostar.

– Changminie…

– E sabe como a minha noite terminou? Ele passou o nosso aniversário de namoro, na casa do ex-namorado.

Kyuhyun sentiu uma pedra afundar em seu estômago e suas mãos começaram a suar frio. O aniversário. Ele estava tão empolgado com aquele encontro que se esquecera completamente e Changmin não o lembrara naquela manhã, no entanto, uma vez que ele estava preparando uma surpresa, certamente também fingiria ter esquecido. Kyuhyun olhou para o jantar e então para seu namorado, procurando palavras para justificar seu comportamento.

– Agora me fala, Kyuhyun. – Continuou Changmin. – O que pode ter acontecido de tão importante pra você me deixar aqui, sozinho, no nosso aniversário? No primeiro aniversário que nós passamos no nosso apartamento?

– Me desculpe, Changminie, eu…

– Eu preparei isso com tanto carinho pra você e o que eu recebi em troca? – Disse Changmin começando a elevar o tom de voz. – Um namorado que chega em casa às três da madrugada e que não manda nem a porra de um SMS avisando que vai se atrasar!

– Eu me esqueci completamente, me perdoe, Changminie! – Justificou-se Kyuhyun.

– É incrível não é? – Disse Changmin se levantando de sua cadeira e jogando a delicada taça contra o chão, a vendo se quebrar em pequenos e finos pedaços de vidro. – É incrível como o melhor aluno da sala não esquece um único trabalho, não esquece um detalhe, um autor, uma frase, uma porra de vírgula em trabalho algum e esquece o aniversário de namoro. Eu sou o que, pra você Kyuhyun? O que sobra?

– Eu já pedi desculpas, Changmin! – Ralhou Kyuhyun se levantando. – O que você quer, que eu me arraste?

– Por que você faria isso? O trouxa aqui sou eu, quem sempre se arrasta atrás do brilhante Kyuhyun sou eu!

– Changmin para, isso não vai acabar bem! – Avisou Kyuhyun.

– Ah não, meu querido, isso acabou de começar. – Afirmou Changmin dando a volta na mesa e empurrando o prato de salada em direção ao chão o vendo se espatifar ali. – E a culpa é toda sua, Cho Kyuhyun!

– CHANGMIN, PARA! – Gritou Kyuhyun.

– ENQUANTO VOCÊ PASSA A NOITE COM O SIWON E COMEMORA COM ELE O SEU NOVO EMPREGO, EU FICO AQUI, ESPERANDO QUE VOCÊ VOLTE COMO UM CACHORRINHO! – Berrou Changmin pegando a travessa de macarrão e a jogando contra o dos armários, vendo de canto, Kyuhyun se encolher. – ESPERANDO QUE VOCÊ SE IMPORTE QUE SE LEMBRE DO SEU NAMORADO!

– EU NÃO FIZ POR MAL! – Defendeu-se Kyuhyun, sentindo seus olhos arderem e as lágrimas rolarem por seu rosto. – Eu não fiz de propósito.

– Eu sei que não. Eu sei que você já se acostumou a deixar o Changmin no SEGUNDO PLANO! – Disse o rapaz, jogando a garrafa de vinho na direção de Kyuhyun que correu para a sala, enquanto a garrafa estourava contra a parede atrás de si.

– PARA, CHANGMIN! – Gritou Kyuhyun entre soluços da sala, se afastando quando viu o rapaz segui-lo. – Para com esse ciúme idiota, se eu quisesse já tinha voltado para o Siwon e eu sei que ele me quer de volta!

– ENTÃO VAI LÁ, CRETINO, VOLTA PRA ELE! Volta que eu vou aplaudir quando ele te abandonar de novo e te deixar chorando feito um bebezinho!

– Cala a boca, CALA A SUA BOCA! – E desta vez foi Kyuhyun quem pegou um dos enfeites da estante e o jogou contra Changmin, não o acertando por muito pouco. – A culpa não é minha se você não tem capacidade pra ser bem sucedido como ele!

– Claro e a culpa é minha por PREFERIR VOCÊ ÀQUELA MERDA DE FACULDADE! A CULPA É MINHA POR QUERER PASSAR O ANIVERSÁRIO DE NAMORO AO LADO DO MEU NAMORADO.

– Eu esqueci a droga do aniversário, supere isso, Changmin!

– Você não se importa não é? – Disse Changmin, finalmente deixando escapar um soluço alto. – Não se importa com o fato de eu ter passado a porra da noite inteira naquela cozinha pra te agradar, ou com o fato de que eu queria que você ficasse feliz. Você é um babaca, Cho Kyuhyun, um babaca egoísta.

– Era uma reunião de negócios, Changmin! – Explicou Kyuhyun impacientemente, vendo seu namorado se aproximar de si soluçando. – Não tem nada haver com o quanto eu gosto de você.

– Você é um cretino, Kyuhyun e um cretino da pior categoria. Você e o Siwon, são dois cretinos e sinceramente, vocês se merecem. Merecem apodrecer juntos naquela merda de faculdade, trabalhando como dois escravos, pra ganhar dinheiro, status e sei lá mais o que você quer. O que eu sei é que você é o pior namorado que eu poderia ter escolhido, eu tenho nojo de você!

– Eu devia mesmo ter ficado com ele! – Disse Kyuhyun entre soluços.

– Como você pode dizer isso depois de tudo o que eu fiz por você? Como pode dizer algo assim quando ontem mesmo você disse que me ama! Você mentiu pra mim, você não me ama!

– É CLARO QUE EU TE AMO! Você é o homem da minha vida! – Disse Kyuhyun ainda soluçando. – Para de gritar comigo, Changmin!

– Parar de gritar com você? O que você quer? Que eu aceite ficar esperando a noite toda por você aqui sem dizer nada? Engolir o meu ciúme como eu tenho feito desde sempre??

– Pára, Changmin, deixa eu me explicar! – Falou Kyuhyun espalmando as mãos no peito do outro rapaz e o empurrando com força, o fitando bater as costas contra a parede. – Você nunca me deixa falar, sou sempre eu o errado e agora você vai me ouvir! Eu já disse que não fiz de propósito!

– Explicar o que? Que você prefere passar o nosso aniversário de namoro com o Siwon? Que a companhia dele é mais agradável do que a minha? Joga na minha cara que ele é um homem melhor pra você! Vamos aplaudir o casal do ano, Siwon e Kyuhyun, os mais inteligentes, mais bonitos! Não tem ninguém a altura de vocês dois, porque vocês são PERFEITOS demais!

– VAI PRO INFERNO!!!!

– ACHO QUE VOCÊS MERECIAM O PRÊMIO, DO CASAL GAY MAIS INTELIGENTE DA CORÉIA DO SUL! E O IDIOTA DO CHANGMIN ACREDITOU QUE TINHA CHANCE, NÃO É ENGRAÇADO? Não é engraçado como o idiota do Changmin preparou um jantar de aniversário e ficou esperando?

– VAI PRO INFERNO!!

A sequência de eventos mais tarde pareceria nada mais do que um borrão na mente de Changmin e Kyuhyun, algo como um pesadelo rápido, pouco antes do despertador tirar sua mente da agonia. Kyu pegou um anjo de gesso pequeno que havia ganhado de Donghae e o jogou em direção à Changmin, em um surto de raiva. Desta vez os reflexos do rapaz não foram tão bons e o anjo acertou-lhe a testa, deixando um hematoma e um corte.

Quando ele viu Changmin se encurvando e o grito de dor, que ele não tinha certeza se era em função do objeto ou da mágoa, saindo de seus lábios, Kyu se arrependeu imediatamente do que fizera. O sangue escorreu para o rosto do rapaz que não mais continha o choro. Seus soluços altos ecoavam pela sala, enquanto Kyu a passos curtos se aproximava de seu namorado, ainda inseguro. A reação de Changmin certamente o surpreendeu.

Assim que ele visualizou os pés de Kyu próximo a si, ele ajeitou o corpo e em seu rosto, uma mistura de mágoa e ira, faziam os músculos de sua face se enrijecer. A mão do rapaz voou em direção ao rosto de Kyuhyun que ouviu o barulho estalado ao mesmo tempo em que sentia o lado de seu rosto arder e com isso a raiva voltou a si. Ele estava pronto para respondê-lo, para atacá-lo, com palavras que sabia que o machucariam, mas Changmin foi mais rápido.

Daquela vez a dor foi muito pior, uma vez que o punho fechado de Changmin se esmagou contra seu olho. Kyuhyun nunca fora um rapaz violento, detestava brigas, por isso não sabia o quanto doía levar um soco de alguém que ele tanto gostava. Aquilo o deixou tonto e ele deu alguns passos para trás, sem ver o olhar arrependido de Changmin logo em seguida. Kyuhyun caiu sobre o tapete, sentado, sentindo seu olho inchar e doer.

– Vai embora, Changmin.

Sua voz saiu fraca, e ele sentiu náuseas juntamente com a vontade de chorar que aumentou drasticamente. Ele não a conteve e começou a soluçar, alto, gritado, com a cabeça baixa e as mãos apoiadas no chão. Kyu não se sentia frágil daquela maneira desde que era um adolescente, e naquele momento estava realmente assustado com as reações de Changmin, assim como o próprio que fitava seu namorado no chão, sem forças para se arrepender ou se repreender.

Changmin ficou parado contra a parede, chorando assim como Kyuhyun. Os nós de seus dedos formigavam e sua cabeça doía, ele sabia que havia passado dos limites, e estava surpreso por conta dos caminhos que sua ira o levara a percorrer. Ele se aproximou de Kyu que se encolheu ao ouvir os seus passos. Changmin abaixou-se ao seu lado e o fitou engatinhar para longe de si, vendo Kyu recostar-se ao sofá, murmurando coisas como “fica longe de mim” e “não me machuca”.

Changmin sentiu as dores da condenação por seus atos arderem em seu peito, se comparando a um pecador diante da porta do inferno. Seu destino estava ali a sua frente e restava a ele aceita-lo amargamente, como o veneno que leva consigo todas as dores do corpo. Changmin se levantou rapidamente e automaticamente pegou sua carteira, chaves e saiu dali, sem olhar para trás e sem rumo diante de si. Ele correu para o estacionamento e se refugiou em seu carro, ainda sem saber o que fazer.

Kyuhyun ouviu a porta bater e se esticou até pegar o celular em sua bolsa, discando um número que já sabia de cor há anos. Não demorou muito e a voz que tranquilizaria sua alma atendeu. Ele soluçou uma vez e a voz se tornou mais urgente, o ouvindo chamar por seu nome do outro lado da linha.

– Hyung…

Changmin dirigiu sem rumo por algum tempo, e deixou seus instintos guiarem-no pelas ruas vazias e frias de Seul, ainda com a visão embaçada, enquanto chorava, alto, gritado, sendo ignorado pelos poucos passantes na calçada. Antes que ele percebesse, estacionava o carro em frente ao seu antigo prédio e seguia para dentro do local, ainda soluçando. O proteiro o indagou se precisava de uma ambulância, devido ao ferimento em sua testa, no entanto, ele apenas pediu permissão para subir.

Yunho demorou a atender a porta, por estranhar uma visita de madrugada, no entanto, a situação de Changmin o deixou mais do que preocupado. O rapaz chorava, enquanto dizia que havia brigado com Kyuhyun e pedia abrigo em sua casa, se não fosse muito incômodo, uma vez que ele não se via em condições de procurar um hotel para passar a noite. Yunho agarrou-o pela cintura, chamando por Jaejoong enquanto guiava-o até sua sala.

– Changmin!

A voz de Jaejoong saiu urgente, assim que ele visualizou seu amigo e de imediato correu em sua direção o segurando pela mão até que o rapaz que aparentemente não tinha forças para parar de chorar sentava-se no sofá. Jaejoong se sentou ao lado de seu amigo e o envolveu pelos ombros, o deixando deitar-se sobre si, enquanto Yunho corria ao banheiro para pegar o kit de primeiros socorros.

– Changminie, eu preciso que você se acalme. – Afirmou Jaejoong, acariciando-lhe os cabelos. – Fica calmo, tenta respirar fundo, não precisa me contar nada agora.

Changmin meneou a cabeça afirmativamente, finalmente parando de tentar contar-lhe o que acontecera. Ele apenas permitiu-se soluçar, enquanto se refugiava no abraço de seu velho amigo. Yunho voltou do banheiro munido de gaze, um pequeno pote com água morna, antiséptico e curativos. Changmin conseguiu parar de soluçar, enquanto Yunho um tanto desajeitado em função do susto, cuidava de seu ferimento.

Quando este estava com seu devido curativo, Yunho afastou os itens de primeiros socorros e se ajeolhou diante de Changmin, segurando sua mão com delicadeza e a apertando, enquanto o mais alto o fitava com um ar desolado. Yunho não sabia como adentrar o assunto, mas sabia que algo sério havia acontecido e precisava se certificar de que tudo estava bem. Ele começou então falando do ferimento do rapaz:

– Changminie, amanhã de manhã, eu e o Jae vamos te levar ao hospital pra ver se você não precisa de pontos, está bem?

Changmin assentiu silenciosamente.

– Vamos conversar. – Disse Yunho, acariciando a mão do rapaz. – Me conte em primeiro lugar, como você chegou aqui?

– Eu vim dirigindo. – Changmin ouviu Jaejoong puxar o ar sobressaltado e fitou Yunho negar com a cabeça.

– Changminie não pode, você podia ter sofrido um acidente. Quando coisas assim acontecem, você deve ligar pra alguém, pode ser pra mim ou para o Jae, nós iríamos te buscar onde você estivesse.

O celular de Yunho tocou, interrompendo a conversa e o rapaz se afastou para atendê-lo. Jaejoong estava tão assustado, que apenas apertava Changmin em seus braços, o mantendo contra si enquanto acarciava seus cabelos com a ponta dos dedos. Eles ouviram a voz serena de Yunho dizendo coisas como “Sim, ele está aqui.” e “Não pode ser outra hora, ele está nervoso e se machucou.”.  Yunho não se demorou a desligar o aparelho e voltar para próximo dos dois rapazes e finalmente voltar a se ajoelhar diante de Changmin e segurar sua mão.

– Era o Hyuk, ele disse que está vindo pra cá conversar com você. – Afirmou Yunho. – Eu e o Jae vamos cuidar de você, tudo bem?

Changmin assentiu, soluçando discretamente.

– Eu vou fazer um chá bem docinho pra você se acalmar e o Jaejoongie vai colocar um travesseiro e um cobertor pra você se deitar aí no sofá e se precisar de alguma coisa é só avisar.

Changmin apenas assentiu e desfez o abraço de Jaejoong que imediatamente se afastou em direção ao quarto para pegar o que Yunho havia pedido. Yunho voltou da cozinha com uma xícara fumegante e logo Changmin se ajeitou no sofá, curioso para saber a urgência em Hyukjae vê-lo. Certamente o rapaz o repreenderia, mas ele estava pronto para aceitar sua sentença e suas consequências.

No apartamento de Kyuhyun tudo ainda estava bagunçado e Kyu ainda soluçava demoradamente. Ele bem sabia que Changmin não saíra a pé e estava preocupado do rapaz dirigir naquele estado. Ele sabia que Changmin havia errado, mas tinha sua parcela de culpa, por não tê-lo telefonado antes para avisa-lo de seu atraso além de ter esquecido o aniversário. Donghae acariciava seus cabelos, com um pequeno pacote com gelo nas mãos, o qual vez ou outra repousava no dolorido olho de Kyuhyun.

Hyukjae ficara com a missão de descobrir se Changmin estava bem, uma vez que uma das poucas coisas que Kyu disse coerentemente era que desejava saber se o rapaz estava bem. O machucado no rosto de Kyu indicava que a briga havia sido séria demais e nenhum dos dois eram exemplos de pessoas violentas, as coisas saíram do controle rapidamente, disso Hyukjae sabia. Ele voltou à sala, onde Hae retirava o gelo do rosto do rapaz e o fitava demoradamente.

A ligação de Kyuhyun quase fizera Donghae ter um ataque cardíaco. A voz chorosa e desesperada do rapaz, fez o casal abandonar seu posto no trabalho na mão de seus contratados e correrem para encontra-lo e eles tinham em suas mentes que haviam feito a coisa certa. Donghae bem sabia que Kyu teria chorado o resto da noite no chão se ele não tivesse chegado ali e há anos não via o rapaz naquele estado.

– Vai ficar roxo, Kyunie, demoramos muito pra por o gelo. – Afirmou Donghae, vendo seu companheiro voltar.

– Kyunie. – Chamou Hyuk, sentando-se ao lado de Kyuhyun. – O Changmin chegou agora lá na casa do Jaejoong. Eu vou até lá, conversar com ele.

Kyuhyun assentiu, sentindo sua mente girar e logo se recostando a Donghae novamente.

– Antes de eu sair, você quer me contar o que aconteceu?

– Eu fiz besteira, hyung. – Afirmou Kyuhyun, voltando a chorar baixinho.

– É, mas pelo seu machucado, o Changmin também fez. – Afirmou Hyukjae, e Kyuhyun assentiu silencioso. – Eu não vou demorar.

– Eu vou cuidar dele, Hyukie. – Afirmou Donghae selando o topo da cabeça do mais novo.

Kyuhyun deitou-se no colo de Donghae e permaneceu ali, se recusando a dormir até ter notícias de Changmin. Era a pior discussão que eles tiveram, e as palavras do rapaz doeram muito mais do que seu punho contra seu rosto. Quando concluiu isso, Kyu contou calmamente a Donghae o que acontecera, deixando o rapaz perplexo com as reações que ambos tiveram:

– Eu preferia que ele tivesse me batido do começo ao fim, do que dito aquelas coisas.

Hyukjae não demorou mais do que quinze minutos para chegar ao apartamento de Yunho, deixando o porteiro desconfiado com tanta movimentação naquele apartamento. Quando a campainha tocou, Yunho correu para atender o rapaz que se enfiou no local a procura de Changmin. O rapaz antes deitado no sofá sentou-se cabisbaixo, sem coragem de fitar seu amigo que certamente estaria irritado.

Jaejoong que antes se sentara no chão ao lado de Changmin e acariciava seus cabelos se levantou e se juntou ao seu namorado no canto da sala, observando Hyukjae. O rapaz atravessou a sala, e parou em pé, de frente para Changmin que puxou o cobertor até seu pescoço como se tentasse se esconder por trás deste, ainda fitando o chão. Hyuk suspirou pesadamente e disse:

– Olha pra mim, Changmin.

O rapaz relutou, desviou o olhar para outro canto da sala, o que fez Hyukjae perder a compostura e a paciência:

– Você foi homem pra bater nele, agora seja homem e olhe pra mim!

Changmin lentamente desviou o olhar ao rapaz, que parecia tentar se conter sem sucesso. Hyukjae estapeou o rosto de Changmin que virou o rosto de lado, cerrando os dentes ao sentir a dor ardida em sua face. Ele devia saber que Hyuk estaria ao lado de Kyuhyun, devia saber que ele se vingaria e não reagiria se o rapaz decidisse espanca-lo ali mesmo. Jaejoong foi segurado por Yunho quando cogitou defender o rapaz, e assim, Hyukjae continuou. Ele segurou o maxilar de Changmin e o obrigou a olhar para si:

– Isso é pra você aprender, que não se deve bater no seu namorado. E eu quero que você se lembre desse tapa, porque é o seu único aviso Changmin, independente se vocês vão continuar namorando ou não, se você encostar um dedo pra machucar o Kyu de novo, eu mesmo acabo com você moleque. Eu levo ele pra longe e você nunca mais nessa sua vidinha miserável vai voltar a ver o Kyuhyun, entendeu?

– Eu não fiz por mal, hyung. – Disse Changmin, finalmente cobrindo o rosto e voltando a chorar. – Eu machuquei ele, eu não queria fazer isso. Eu fiquei com tanta raiva, não sei o que me deu, eu não sou assim.

– Aish, Changmin! – Disse Hyukjae se sentando ao seu lado e o abraçando rapaz, oferecendo-lhe seu ombro para que o rapazse  apoiasse. – O que te deu na cabeça?

– Ele esqueceu o nosso aniversário de namoro e ficou na casa do Siwon, e nós discutimos e eu fiquei com raiva e bati nele. – Resumiu Changmin. – Eu queria me desculpar, mas ele ficou com medo.

– O que é isso na sua cabeça? – Indagou Hyukjae, fitando o curativo.

– O Kyunie jogou alguma coisa em mim, eu não sei o que foi, só sei que doeu. – Afirmou Changmin. – Eu não quero perder ele, hyung, mas tudo parece tão difícil agora.

– Se isso te tranquiliza, ele estava preocupado com você. – Afirmou Hyuk. – Vamos combinar assim, você dorme aqui no apartamento do Yunho e do Jaejoong e amanhã vai trabalhar normalmente e depois vai pra sua casa conversar com o Kyu e decidir o que vai acontecer. Eu vou pro seu apartamento dormir com ele agora e deixo ele ciente disso, pra ele estar lá no horário e eu to pouco me lixando para o Siwon, amanhã vocês dois vão matar aula.

– Hyung, eu não quero ouvir o nome do Siwon agora, por favor.

– Tudo bem, Changminie. – Afirmou Hyukjae se afastando do rapaz e selando sua testa. – Eu vim me certificar de que você estava bem e sei que está bem boa companhia, mas agora eu preciso voltar e cuidar do Kyunie. Você vai ficar bem?

– Cuida dele pra mim.

– Juízo, Changmin.

Quando Hyukjae chegou ao apartamento de Kyuhyun, ambos estavam no quarto do rapaz e Donghae já estava entregue ao sono, sobre a cama de Kyu que abraçado a ele, fitava o teto na espera de seu amigo com notícias de seu namorado. Quando a campainha tocou, Kyu se desvencilhou do abraço de seu amigo e tratou de atender a porta, encontrando um exausto Hyukjae do outro lado. Kyu o deixou entrar e puxou-o até a sala pelo pulso, se sentando no sofá, tentando não fazer barulho para que Hae não acordasse.

– Encontrou o Changminie?

– Encontrei, Kyunie, ele está bem. – Afirmou Hyuk, segurando seu amigo pela mão. – Só está nervoso, como você, mas está bem.

– Ele está com raiva ainda não é?

– Não, está triste. – Afirmou Hyuk. – Por que vocês dois deixaram ir tão longe? Não precisava terminar assim, Kyu.

– O que eu faço, hyung?

– Eu disse para o Changmin ficar lá essa noite, amanhã ele vai ao hospital ver o corte na testa e depois vai trabalhar e você também vai. – Afirmou Hyukjae. – A noite os dois vêm pra cá e conversam. Se a irritação começar a aumentar, vocês vão parar, se separar, cada um vai pra um quarto e depois vocês continuam.

– Eu estou com medo, hyung. – Afirmou Kyuhyun deitando a cabeça no encosto do sofá.

– Olha pra mim, Kyunie. – Disse Hyuk, voltando-se para o rapaz e quando seus olhares se encontraram ele disse firmemente. – Se achar que deve terminar, termine, não prolongue algo que está fadado ao fracasso. Eu e o Hae continuaremos do seu lado, independente da decisão que você tomar.

– Na verdade, eu não queria. – Confessou Kyuhyun. – Isso foi um evento isolado, hyung, o Changmin é uma pessoa calma.

– Me prometa uma coisa, se precisar de conselhos, você vai procurar a mim e ao Donghae, não ao Siwon.

– Por que, hyung?

– Eu adoro ele, mas ele te jogaria contra o Changmin e talvez te levasse a tomar uma decisão de que você se arrependeria depois. Procure a mim ou ao Donghae.

– Tá bem, hyung. Tudo bem se não falarmos do Siwon-hyung hoje?

– Tudo bem. – Disse Hyukjae, percebendo que Kyu e Changmin pediram pela mesma coisa, o afastamento de Siwon. – Vamos dormir.

– O Hae-hyung já dormiu.

– Isso porque ele é um peixe dorminhoco.

Kyu riu baixinho e segurou a mão do mais velho em direção ao seu quarto, onde os três deitaram na mesma cama. Hyuk dormiu antes de Kyu que passou boa parte do que sobrou de sua madrugada olhando a janela e pensando em como estaria seu querido Changmin. Ele cedeu ao cansaço e se atrasou para o trabalho no dia seguinte, onde teria de responder as mais contrangedoras perguntas sobre o hematoma em seu olho. No entanto, o que mais o incomodou foi acordar longe de Changmin, não era aquela a vida que ele escolhera.

No apartamento de Jaejoong, ele ficou ao lado de seu amigo até este adormecer, ou ao menos fingir que dormia. Quando chegou ao seu quarto, Jae encontrou Yunho já deitado e fitando o teto, com ar preocupado. Ele se deitou ao lado de seu namorado que o abraçou pela cintura como costumava fazer. Jaejoong estava cansado e tinha clientes marcados para dali poucas horas, no entanto, ele precisava compartilhar suas preocupações com seu namorado para que pudesse adormecer tranquilo.

– Acha que o Changminie vai ficar bem?

– Ele vai sim, ele é forte. – Afirmou Yunho.

– O que será que deu nele? Quer dizer, ele sempre foi forte, mas nunca foi de bater nas pessoas.

– Ele perdeu a cabeça, acontece com todo mundo, Jae-ah.

– Acha que eles brigaram só por causa do aniversário de namoro?

– Jaejoongie, o ciúme do Changmin era uma bomba relógio e nós dois sabemos disso, acho que o Kyu esquecendo o aniversário foi o gatilho. Foi como comigo e com o Yoochun. Nós nos machucamos mutuamente por um longo período de tempo, eu me aproximar de você foi o gatilho que transformou o Yoochun em uma pessoa insuportável.

– Mas ele não te bateu. – Afirmou Jaejoong.

– Acredite, faltou muito pouco pra isso.

– Hyung, promete que nós nunca vamos brigar assim?

– Eu não posso prever o futuro Jae-ah, mas posso garantir que eu não jogaria nada em você e muito menos te bateria.

– Nós vamos aprender com eles e vamos fazer diferente. – Afirmou Jaejoong, apertando Yunho em seus braços. – E vamos cuidar do Changminie, ele continuando com o Kyu ou não.

– Isso eles vão decidir sozinhos amanhã a noite, vamos torcer pelos dois. – Afirmou Yunho, selando o topo da cabeça de seu namorado. – Agora vamos descansar.

Na sala, Changmin ouvia os murmúrios de seus amigos no quarto, mas não se atentava ao assunto deles. Ele olhava para o teto, sentindo o clima frio, apesar de ser uma noite amena. Ele não se sentia sozinho daquela forma há pelo menos dois anos. A mente de Changmin girava e sua cabeça latejava enquanto maneiras de se redimir passavam por sua mente, misturadas a imagens de um futuro sem Kyuhyun.

E foi essa incerteza que tirou o sono dos dois rapazes, pois a única coisa que parecia certa em suas vidas parecia ter ruído entre seus dedos nas últimas horas. Eles teriam um dia longo naquela sexta-feira cinza e a noite, se obrigariam a pensar como adultos, a pesar prós e contras, a se encararem e ver nos olhos um do outro o que realmente desejavam para seu futuro, por mais dura que esta resposta pudesse vier a ser. Eles estavam desesperados, assustados, acuados e mais solitários do que nunca.

Entre as visões que Changmin e Kyuhyun tiveram de seu futuro, certamente aquela noite não passou nem perto do que eles desejavam. Seu futuro agora parecia um borrão cinza e sem vida, tal qual os sentimentos que se espalhavam em seus corações. Era como mergulhar em um pesadelo do qual não se tem controle e do qual não se pode acordar, uma sensação vertiginosa e dolorida que acima de tudo eles queriam esquecer. E por mais que quisessem esquecer, aquele aniversário de namoro ficou marcado em suas mentes, para o resto de suas vidas.

Anúncios

10 pensamentos sobre “Capítulo 41 – Wake me up when september ends

  1. Oie Rosane!
    Olha eu aqui comentando Candy Bar novamente, eu sempre random com meus reviews pois eles nunca são constantes. Acho que comentar mesmo no site só fiz isso duas ou três vezes e foram logo nos primeiros capítulos.
    Essa fic já se tornou um marco na historia de fanfics de kpop e principalmente na categoria SJ. Você sabe que não sou a mais fã do couple principal, pois sou Wonkyu roxa, mas mesmo assim essa fic me conquistou. Estou falando isso novamente porque sei que em meio ao fogo cruzado que vc às vezes se encontra por conta dos haters ficar chateada pelos comentários maldosos faz parte, mas saiba que se estão falando mal é porque a fic é bem feita e por isso incomoda e eu sendo uma NÃO shipper do casal sou completamente apaixonada por ela.
    Bem a estória passou por várias fases e não vou falar deles por foram muitos e também não irei comentar sobre os casais do DBSK por não sou fã deles e nem os conheço e por isso prefiro ficar quieta do falar alguma besteira.
    Bom finalmente os dois tiram um conflito direto. Depois de uma guerra fria por assim dizer, afinal Changmin sempre tentou controlar o seu ciúme e Kyu fingindo que não estava vendo o que estava acontecendo no seu relacionamento desde a volta do Siwon eles foram levando, mas tudo tem o seu limite e Changmin chegou ao dele. Preciso dizer que foi muita mancada do Kyuhyun sumir dessa forma justamente no dia do aniversário dos dois. E justamente sumir quando estava na companhia do Siwon foi mais mancada ainda. E assim a guerra estava formada. Normalmente eu fico sempre a favor dos meus bias, mas dessa vez eu tenho que dizer que Kyu fez merda e das grandes e que Chang teve todo o motivo de surta daquele jeito. Dizem que cada autor é bom em uma coisa e nesse caso o seu ponto forte pra mim e escrever diálogos tensos e de brigas e discussões. Eu amei toda a narrativa da briga, como você deixa claro todas as emoções contidas em meio aquele caos. Meus parabéns. Juro que fui ficando tensa a medida que o Changmin foi aumentando a voz e começou a quebrar as coisas, tanto quanto eu esteja a favor do Chang em explodir e brigar com o Kyu eu sou contra a violência exercida pelo mesmo, por mais que no calor da briga não pensamos direito não curti ele ter batido no Kyu. Ele bateu no Kyuhyun duas vezes eu fiquei bem chateada com isso. Quando eles começaram a quebrar as coisas e catar coisas um no outro eu sabia que isso não ia terminar bem. Kyuhyun jogou um troço na cabeça do Changmin e mesmo revidou duas vezes. =/ Como sempre quem aparece nas horas de angustia do Kyu? Eunhae. Esses eu tenho que comentar a parte afinal meu falado hardcord shipper não me deixa calar. EU AMO SEU EUNHAE nessa fic. Sério AMO AMO AMO AMO… Eu já amava o seu jeito de escrever eles em My First Kiss, mas em Candy Bar ganha disparado em meu coração esses dois. ( Será que não rola uma OS deles? Eu sempre fico com vontade que quero mais desses dois na fic, o relacionamento deles parece tão bonito que eu fico querendo mais cenas dos dois interagindo ;-;) Eles são os pais do Kyuhyun e ponto final. Donghae uma mãe cuidadosa e preocupada e orgulhosa e Hyukjae o típico pai que não é de falar muito, mas na hora que precisa tá ali para defender sua cria. Amei a forma que Hyuk repreendeu Changmin, ele não gritou, não chegou fazendo barraco nem nada. Deu uma tapa no Changmin que eu achei digno e um aviso de que ele fizesse novamente ele não veria o Kyu nunca mais. Achei super certo essa atitude dele. E no fim consolou e aconselhou o menino perdido. Acho válido ele se posicionar e dizer ao Kyuhyun para não ir procurar o Siwon e a bestinha do Kyu ainda pergunta por quê? Mesmo depois de todo o fuzuê que o fato dele estar com o Siwon causou ele ainda pergunta porque de não ir procurar o Siwon aish Kyuhyun…
    Claro que eles irão ficar juntos no final, mas acho que até muita coisa ainda irá ocorrer não? Kyuhyun precisa amadurecer, porque ele ainda não percebeu certas coisas, ele ainda não viu que está fazendo a mesma coisa que o Siwon fez ao priorizar carreira, trabalho estudo acima do seu relacionamento. Ele ainda não se deu conta de Siwon é seu ex e por mais que ele seja seu professor novamente ele não deveria ficar dando tanta trela a ele como está dando. Essa de querer que Changmin e Siwon se deem bem é coisa de criança porque isso não iria ocorrer nunca ainda mais com Siwon sempre atacando Changmin quando vê uma oportunidade. Kyuhyun não está vendo que ainda está se comportando como o menino novinho que se apaixonou pelo professor e deixou o mesmo manipular sua vida durante anos. Está na hora do Kyu acordar porque se ele não o fizer irá perder o namorado. E voltar pro Siwon não seria algo muito certo a se fazer porque Siwon continua sendo aquela criatura egocêntrica e egoísta que foi no passado e para abandona-lo uma segunda vez é fácil fácil.

    Agora só me resta esperar as cenas dos próximos capítulos. Quero ver como Siwon irá reagir quando souber da briga e quero muito mais muito mesmo que Eunhae dê um chega pra lá nele por está fazendo da vida do Kyu um caos tão grande.
    Rosane meus parabéns pela fic, ♥

    • Oii Anna, tudo bem?? ❤ Aahh que saudade dos seus reviews, e não se preocupe com a frequencia de postagens, já me deixa satisfeita em saber que você continua acompanhando! Eu sei bem, que o seu OTP não é ChangKyu, mas por mais que o Kyu não vá ficar com o Siwon no final vão ter vários momentos entre eles!
      Confesso que eu fiquei toda boba quando você definiu Candy Bar como "um marco nas histórias das fanfics" confesso que não acho que a história seja assim tão significativa e a recepção dela foi algo realmente surpreendente. Siimm, por outro lado, o fato dela chamar a atenção para lado negativo também me surpreendeu, pois eu nunca imaginava acabar tendo haters minhas, do couple ou da minha fanfic, isso me surpreendeu de uma forma negativa e eu confesso que os comentários realmente me chatearam a princípio. Eu fico muito feliz que você esteja gostando, exatamente porque você não é shipper, amore, porque esta é uma das minhas intenções com Candy Bar, é que a história dela supere a relevância do casal, sem que este perca a sua importância!
      Aahh sim, pulando os altos e baixos do casal, esta "guerra fria' e esta briga dão a deixa para o conflito final da fanfic.
      Siimm, primeiramente estava na hora do Changmin explodir na fic, mas não podia ser por qualquer coisa, tinha que haver um bom motivo. Essa grande mancada do Kyu poderia passar despercebida, não fosse o contexto em que ela ocorre, em meio a uma guerra fria. E os detalhes do erro do Kyuhyun acabaram servindo para potencializar a reação do Changmin. Não foi só esquecer o aniversário, foi passar a noite fora, no aniversário de namoro e ainda mais com o Siwon.
      Ahh muito obrigada ne! O problema em escrever uma briga é exatamente esse, porque ninguém fala tudo o que quer duante uma discussão, sempre tem aquela resposta que depois que a raiva passa, você pensa nela. Então eles precisam falar o que incomoda, sem serem racionais o suficiente para descreverem exatamente o que os incomoda. Aahh eu também detesto violência e não sou MESMO dessas como o Changmin que faz escândalo quando explode e tudo mais, no entanto, esta era uma faceta do Changmin que eu ainda não tinha descrito e achei que combinou com a personalidade do Changmin da vida real (pois de acordo com o Kyu ele é o tipo de pessoa que guarda tudo para si e uma hora explode!) Enfim, eu entendo as suas sensações com a briga, porque senti elas também, ela foi intensa demais e era como se eu tivesse ficado chateada com eles, cheguei até a me arrepender de escrever! Mas ela era necessária para o enredo da fic!
      EunHae!! Se tem algo que eu amo descrever aqui são eles dois! Eles são mesmo, os pais do Kyu por aqui! Eles são o melhor exemplo do que ele deseja a princípio para o futuro, além de mimarem e muito o Kyu. Aaahh então, eu já prometi uma OS de EunHae pra Lari e pretendo fazê-la assim que CB terminar!
      As opiniões sobre a repreensão do Hyuk me surpreenderam, sabe? Muita gente disse que ele fez errado, mas na minha cabeça, o tapa que o Changmin levou foi muito justo, principalmente levando em conta que a única informação que o Hyuk tinha era que o Kyu tinha apanhado e mais nada. E ele não só bateu no Changmin, ele bateu e depois ouviu ele e o aconselhou.
      Siimm, o Hyuk gosta do Siwon, mas também é esperto o suficiente pra perceber a influencia dele no Kyuhyun. Siim, mas na cabeça do Kyu o Siwon tem uma parcela pequena de culpa, e é o professor favorito dele, seria comum se ele pensasse no Siwon como um conselheiro e com toda certeza ele não é a pessoa mais apropriada.
      Siimm!! Eles ainda vão passar por poucas e boas, antes do Kyu perceber os erros dele, assim como o Changmin. Exatamente, o Kyu não percebeu mesmo que ao colocar o Siwon em um patamar tão alto está regredindo ao menino de 16 anos e se deixando influenciar muito fácilmente. Mais para frente isso vai ficar mais claro, mas para o Kyu, mesmo tendo sofrido na mão do Siwon, é difícil dizer não para as vontades dele. No começoda fanfic ele se escondia por trás da amargura de homem abandonado e quando o Changmin derrubou isso, abriu caminho para o Siwon por mais que esta não fosse a intenção dele.
      Siimm e eu nem posso prometer que a vida do Kyu vai melhorar, ela vai continuar como uma montanha-russa, agora até o final. A reação do Siwon não vai ser das melhores, mas ela poderia ser pior, eu garanto. E não se preocupe, EunHae estará sempre presente na fic, até o último capítulo!
      Muuito obrigada por acompanhar e pelo seu coment lindo, Anna!
      Bjos!

  2. Eu sei que é um review atrasado, mas estava sentindo saudades de vir te dar amor nessa fic.

    Bom, fiz uma conta no Nyah por sua causa, porque amo Candy Bar e não queria ser uma leitora fantasma. Agora que CB migrou, nem sei mais o que fazer com a conta, e quando a fic acabar também não vou saber o que fazer nas noites de domingo e quarta. E se lá eu era a Yume que andava sumida (por causa do trabalho), aqui serei somente a Bia, mais uma sofredora por CB. Vou acompanhar sempre por aqui, porque o Animespirit e eu não temos uma boa relação. E se eu voltar a sumir, saiba que vou acompanhar essa fic até o último capítulo, é que a vida anda muito corrida pra mim e ando sempre lendo tudo às pressas. :((((

    Olha eu li esse capítulo dentro do carro, pelo celular, com a mão na boca para o meu pai não se assustar com meus grunhidos de desespero. Quando terminei, me surpreendi com as lágrimas escorrendo pelo meu rosto sem que eu tivesse percebido exatamente a que altura do capítulo elas haviam começado a surgir. Mas, cara, Kyuhyun pisou demais na bola. Ele realmente nunca esquece nada,
    nenhum trabalho, nenhum compromisso, e deu motivos para deixar o Changmin tão magoado. Até eu fiquei magoada com esse Kyu. Porém, as proporções que isso tomou foram drásticas demais, ambos são imaturos. Guardam mágoa, se deixam corroer e quando explodem saem ambos feridos. Espero sim um final ChangKyu, mas acho que eles precisam melhorar nesse aspectos para que o relacionamento dê certo. Kyu não tá percebendo que o Siwon está usando essa nova fase profissional da vida dele para se aproximar
    mais, para enfeitar um futuro para o Kyu onde o Chang não é importante. Pelo visto, o Siwon vai continuar pomposo e rebaixando o Chang em tudo, então uma amizade entre eles não é algo que dependa apenas do tempo, como aconteceu com o Yoochun e o JJ.
    Embora eu condene o CM usando de violência, Kyu pode acabar sem namorado por justa causa, ele tá dando motivo e caindo com facilidade em todas as situações que só favorecem o ego do Siwon.

    Eu quero e não quero ver a reação do teacher gostosão ao saber dessa história. Quero porque sei que vai ser dramática. Não quero porque não sei se tenho coração para aguentar ele dando opinião na relação dos dois de novo. EunHae sabem dar opiniões sem aumentar o rancor de ChangKyu, mas o Siwon dá opinião como se o único que comete erros na estória fosse o Changmin. O Siwon sempre coloca o proprio orgulho em primeiro lugar e eu quero dar uns tapas no Kyu até ele perceber isso.

    CLAP CLAP CLAP CLAP PALMAS PRO HYUKJAE, PALMAS PARA ESSE HYUNG SÁBIO. Repreendeu com firmeza, mas também com amor. Ele é na dele, contido, mas quando age na fic eu fico querendo um Hyukjae aqui do meu lado pra guardar na minha estante. Donghae também é um peixe dorminhoco que me deixa pisando em nuvens quando aparece. Siwon só vai me deixar feliz quando recolher-se à sua insignificância e voltar para Londres. Sinto que este vai falar muita merda quando ver o olho roxo do Kyu. E esse YunJae se continuar aprendendo com os próprios erros e com os erros dos amigos, tem tudo pra ficar no mesmo nível de perfeição de EunHae. Espero bons ventos para os casais secundários e ChangKyu parece nunca parar de me fazer chorar.

    Unnie, como já disse, estarei te acompanhando sempre ansiosamente, sim? Então não demore tanto pra postar aqui no WordPress viu? O AS nunca colabora comigo…

    Até o próximo cap! ~Fighting!

    • Oii Bia!!
      Ah, não se preocupe, eu já fiquei muito feliz em ter recebido o seu review!
      Aahh jura?? Você foi como eu, eu não tinha intenção nenhuma de escrever quando fiz uma conta no Nyah fiz pra prestigiar uma fic e valeu muito a pena!
      Aahh Bia, vou ter que dizer que amei todos os seus reviews a Candy Bar, mesmo mesmo! Seus comentários sempre foram muito pertinentes! ❤ E não se preocupe com a frequência, me deixa feliz saber que você continua acompanhando ne! Eu também não fiquei satisfeita com o Anime Spirit por isso criei esse aqui, fico feliz que tenha sido um refúgio pra você também!
      Eu entendo perfeitamente a sua reação ao capítulo, eu confesso que também fiquei mal quando escrevi ele e tive que parar e respirar uns instantes antes de continuar a fanfic.
      Como a Anna comentou no comentário anterior, desde a volta do Siwon eles estavam em uma espécie de guerra fria, e talvez esse erro do Kyu não tivesse ganhado essa proporção não fosse o contexto em que ele aconteceu. É que tipo, não foi só o esquecimento, foi o fato do Kyu ter passado a noite fora, com o Siwon e além disso ter esquecido o aniversário.
      Siimm, eles estão reagindo muito imaturamente nos últimos capítulos. O caso Yoochun/JJ tem suas semelhanças com Chang/Siwon, porque os dois são baseados em suas inseguranças, a diferença é que o Kyu não toma um partido, e a personalidade do Changmin é diferente do Yoochun, então eles reagem diferentemente!
      Siimmm!! O Changmin errou batendo no Kyu, mas também foi um ato justificável por assim dizer. O Kyu está mesmo dando mais atenção ao Siwon do que devia e logo vai perceber que isso é um erro.
      Aahh a reação do Wonie vai ser ruim, mas tipo, poderia ser pior, sabe? Ele vai sempre dar pitaco onde não deve, da forma que não deve e o pior de tudo, o Kyu vai ouvir e considerar. Siimm, o Siwon mima o Kyuhyun, e o Kyu infantilmente gosta disso, porque esse lado do Siwon remete a tempos mais fáceis quando eles estavam juntos!
      Hyukjae! ❤ ❤ Então, algumas pessoas repreenderam a reação do Hyuk, mas eu achei acertada (não que a minha opinião seja a mais válida, mas enfim) ele repreendeu, mas aconselhou, isso sem ainda saber o que realmente tinha ocorrido. Porque convenhamos, só do Hyuk ver o menino que ele e o Hae cuidam de olho roxo, chorando, já é motivo pra ele querer o couro do Changmin. No entanto, ele parou e ouviu o Changmin, e soube aconselhar, eu acho!
      EunHae nessa fic é algo que eu amo escrever, eles são simplesmente lindos! <33 Siwon pobrezinho, vai demorar um tanto pra melhorar, e YunJae estão ao infinito e além! <33
      Aaahhh não se preocupe, eu vou postar ao mesmo tempo pq também não sou a maior amante do AnimeSpirit, então fique a vontade pra acompanhar por aqui ne!!
      Até mais, Bia e obrigada por acompanhar!
      Bjos, fighting!

  3. Meu primeiro comentário em Candy Bar *O*

    Eu li todos os capítulos no Nyah Fanfiction e simplesmente me apaixonei pela história! É super envolvente, não posso nem descrever o turbilhão de sentimentos que tive com Candy Bar rsrs
    Já chorei, ri, fiquei irritada, anciosa, triste…

    Nesse capítulo me segurei para não chorar, foi muito triste!!! A pouco eu estava rindo com o capítulo que o Siwon vê o video pornô do Kyu e do Chang (sim eu ri o capítulo inteiro rsrs) e agora estou super triste por causa da briga, é incrivel como Candy Bar muda meu humor do nada rsrs

    Comentando sobre este capítulo…
    Estou com uma raiva descomunal do Kyuhyun, e olha que é meu Bias, estou me segurando para não ficar com mais raiva ainda dele, até tirei ele do meu protetor de tela u.u rsrs

    Sério estou muito irritada com as atitudes dele, o Changmin é o namorado perfeito (e eu nem gostava dele antes de Candy Bar) e o Kyuhyun o trata de uma maneira… Como se ele não fosse tão importante para ele, como o Kyuhyun é para o Changmin.

    Eu apoio totalmente o Chang nesta briga, não acho que ele deveria ter batido no Kyu, só agravou ainda mais a situação, mas poxa, eu também ficaria P da vida se meu namorado fizesse isso comigo, na verdade eu acho que matava a criatura quando chegasse em casa!

    O pior nem foi ele ter esquecido o aniversário e ter deixado o Chang plantado, ele poderia até relevar, mas ele estava com o Siwon, o ex namorado filho da p*** que abandonou ele por causa do trabalho.

    O Kyuhyun não está vendo o verdadeiro valor do Changmin e isto está me irritando, tomará que o Changmin dê um tempo e arranje alguém para fazer ciúmes no Kyu, assim ele aprende como é bom ver a pessoa que ama com outro!!

    E Hyuk… Vontade de te bater ò.ó

    Enfim… Comentário grande… rsrs
    Vou comentar em todos os capítulos de agora em diante *O* Sou super viciada em Candy Bar!

    Estou anciosa para o próximo capítulo *———–*

    PS: Vou postar meu comentário no Anime Spirit também ^O^

    • Oii Thami!!
      Aahhh seu primeiro comentário, eu fico feliz que você esteja por aqui e que esteja gostando de Candy Bar! Uma pena que a nova resolução do Nyah tenha mudado nos atrapalhado, mas tudo bem, vamos que vamos! ❤

      Aahhh eu entendo, Candy Bar tem muitos altos e baixos que variam de um capítulo para outro então eu entendo as suas reações ne! O Siwo, probrezinho, já que ele não pode ter o guri própriamente falando, ele já se contenta com o pornozinho né?

      Siiimm, em relação ao Changmin as atitudes do Kyuhyun foram extremamente egoístas nos últimos capítulos e esse esquecimento do aniversário foi algo que fez o Changminie se sentir frustrado e abandonado, por isso ele acabou explodindo daquela maneira. É como você comentou, não é que a atitude do Changmin de bater no Kyuhyun tenha sido algo bom, mas também não foi violência gratuita e nem algo totalmente injustificado. Dá pra entender os motivos dele, por mais que tenha sido um erro.

      Exaatamente, o problema é que o Kyu está priorizando demais a faculdade, o trabalho e até mesmo a companhia do Siwon e é claro, isso acaba machucando o Changmin. E não é que ele não perceba que isso está acontecendo, mas ele não vê nenhuma gravidade nas atitudes dele, o que para o Changmin é algo devastador!

      Aahh meu anjo, não julgue o Hyuk, ele é um dos personagens mais imparciais da história! Eu sei, bater no Changminie sem saber o que aconteceu não é a melhor escolha, mas depois de ver o Kyu daquela maneira, sem saber o que aconteceu, também não é uma reação assim tão absurda né? O que torna ele mais imparcial, foi ele ter parado e escutado o Changmin, e é claro, aconselhado ele, á sua maneira.

      Aahhh não se preocupe, eu amo comentários grandes e já fico muito satisfeita em saber que você está gostando!
      Obrigada por acompanhar!
      Bjos!!

  4. Esse capítulo me deixou com os olhos cheios d´água… Fiquei com TANTA dó do Changmin preparando tudo com tanto amor, todo ansioso, todo feliz pra comemorar mais um ano da sua felicidade ainda mais na casa nova e o Kyu dá uma mancada federal dessas. O que já era previsível, do jeito que ele tá com o rabinho piscando pelo Siwon e o professor ainda dando aquela corda pros assuntos que o Kyuhyun adora e que não teria como ser discutido com o Min. O pior realmente nem foi o atraso necessariamente, mas tudo doeu muito mais pro Changmin porque ele tava com o Siwon, logo ele!
    Não acreditava que eles seriam capazes de chegar ao extremo de uma agressão, mas tava na cara que o Changmin tinha virado uma bomba-relógio, que quando explodisse, era pra sair tudo da frente! E aí ele explodiu muito feio mesmo… Não defendo nenhum dos dois ter partido pra agressão, mas é fato que quem procurou, achou. Como já comentaram, imagine o Siwon sabendo disso? Vai envenenar o Kyu contra o Min até a morte!!

    O Kyu tá muito cheio dos sorrisos pra um ex-namorado…. mas deve ser muito difícil pra ele também. Amou e sofreu tanto pelo Siwon, que é muito complicado de tudo ser apagado, principalmente na presença dele e o Changmin se sentindo um merda no final de tudo. Tá muita covardia pra cima dele e é aí mesmo que ele tem que pensar no quanto ama o Kyu e até onde vale a pena, mas com o pequeno pisando na bola desse jeito não é fácil.

    Ahh, EunHae… que delícia esses dois! Os super paizões da fic! Muito bom o Hyuk indo lá tirar satisfações com o Changmin, adorei! Socorro, cada vez mais doido tudo isso, tô adorando <33

    Ainda tem um espacinho pra Yunjae e Yoosu aí no meio desse furacão?? :p

    • Oi Cleo!!!

      Ah, é bem isso mesmo, o Kyuhyun realmente pisou na bola, mas é como você comentou, esse esquecimento do aniversário de namoro foi só a gota d’água para algo que já incomodava o Changmin há tempos que é essa aproximação do Siwon. Então a frustração dele foi apenas elevada pelo esquecimento bobo do Kyuhyun. Exatamente, a agressão do Changmin não foi algo bom, mas também não foi gratuita. Ele explodiu e fez besteira, acho que todo mundo está sujeito a isso e é claro, o Siwon não vai deixar por menos e vai julgar muito o Changminie!

      Simm! O que acontece é que o Kyu permitiu que o Siwon se aproximasse, a partir do momento em que decidiu perdoar ele, sem saber que isso magoaria e muito o Changmin. Fazer as pazes com o Siwon foi a chave de ouro para o Kyu perdoar o seu passado e olhar para a frente, mas ainda não percebeu o quanto isso envenena o relacionamento deles e como isso pode ser uma bola de neve! E é claro, como bom cabeça dura, ele não vai perceber isso tão cedo.

      Siiimmm EunHae são mesmo os pais, mas é claro, eles sempre pendem para o lado do Kyuhyun! ❤ Siimm, em algum momento YunJae e principalmente YooSu dão as carinhas, porque eles merecem ne!

      Obrigada por acompanhar!
      Bjos!

  5. Olá!!! Nossa!!! Demorei a chegar aqui… Nossa!!! Que briga séria deles… Que tenso!!! Mas tava demorando acontecer algo assim e de certa maneiro o Kyu está fazendo parecido com o que o Siwon fez com ele… Vamos para o próximo… Parabéns!!! Beijinhos…

    • Oii Emmy!!

      Aahh eu entendo, afinal é uma fanfic longa né? Siim, essa foi a pior briga deles até aqui e concordo com você, ela até que demorou para acontecer! Dependendo do ponto de vista, sim, o que acontece é que o Siwon fez ele sofrer por menos tempo, do que o Kyu faz com o Changmin. E é claro, como são pessoas diferentes, as reações do Changminie a isso também serão diferentes né? Enfim, fico feliz que você esteja gostando!

      Obrigada por acompanhar! ❤
      Bjos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s