Capítulo 01 – Apple

mathmatics 1

Existem coisas pelas quais todo adolescente passa. Dúvidas, rebeldia, espinhas, brincadeiras, namoros, desejos, amizades. São vários aspectos, clichês que definem essa fase da vida. Os psicólogos dizem que todo adolescente deseja se encontrar, busca aceitação e sua maneira de ver o passar do tempo é diferente da vida adulta. O crescimento é tão repentino, que para um adolescente, um ano significa uma vida. A entrada na adolescência é um tempo complexo, e uma idade belíssima.

Era o primeiro dia de aula. Kyuhyun adentrou o local ao lado de sua noona, Ahra. Os dois com seus uniformes impecáveis, ela animada, ele acuado e irritadiço. Kyu não queria voltar para a mesma escola, odiava aquele local, odiava seus colegas e tudo o que o rodeava ali. Sua irmã se afastou rapidamente, entre gritinhos estridentes e abraços em suas antigas colegas. Kyu não a culpava, talvez fosse uma necessidade para meninas de quinze anos fazer esse tipo de escândalo.

Ele subiu as escadas, feliz por estar, até então, sendo ignorado. Era pior quando o notavam. Sua sala estava cheia, principalmente ao fundo. Algumas pessoas apontaram para ele quando o viram, certamente acreditavam que ele sairia da escola naquele ano. No entanto, por mais que ele tivesse implorado para seus pais moverem-no para qualquer outro local, ele continuava na mesma instituição em que, no ano anterior, ele sofrera tão grande humilhação.

Claro, ele não poderia dizer aos seus pais os motivos de querer tão veementemente sair dali. Eles não poderiam saber que fora flagrado aos beijos com um hyung nos fundos do colégio, logo atrás das piscinas. Os boatos se espalharam pela escola e em menos de uma semana ele e Heechul foram acusados de sua homossexualidade. Sua irmã negava até o fim, mas seus colegas sabiam a verdade, sabiam que ele era gay.

Kyu se descobrira gay muito cedo. Ele olhava para os garotos de sua sala com outros olhos, e sabia que tinha gostos delicados e afeminados. Kyuhyun sentou-se na primeira cadeira, na fileira central, e não demorou muito para uma bolinha de papel chocar-se contra seu ombro. Havia começado. Alguns alunos gritaram, xingaram ou riram histericamente, enquanto ele se mantinha sem reação, arrumando tudo sobre sua mesa.

Kyuhyun abriu seu caderno e a primeira matéria que anotou, era sua favorita, matemática. Desde criança ele amava os números, contas, frações e quanto maior a dificuldade, maior era seu desafio. Em seguida, as outras matérias exatas e por fim aquelas que não exigiam tanto de seu intelecto. Kyuhyun enfeitava seu caderno com alguns adesivos que comprara quando a primeira professora do dia adentrou a sala.

Era aula de história. Kyuhyun não detestava aquela matéria, apenas achava inútil decorar nomes de imperadores e datas de um passado que já não importava mais. Ainda assim ele era um aluno aplicado, afinal, era o que lhe restava em uma escola onde as pessoas o enojavam. Ele precisava estudar, e fazer aquele ano passar extremamente rápido. Ou talvez com alguma sorte, mudar de escola no semestre seguinte, ele precisava convencer seus pais.

Kyuhyun não gostava muito daquela professora. Ela sabia explicar muito bem, mas não tinha controle algum sobre sua sala de aula. Enquanto ela passava no quadro uma linha temporal que serviria de base para seus estudos naquele ano, a sala não dava atenção alguma para suas anotações. Eram conversas e mais conversas sobre as férias, futuras festas, possíveis namoros e brincadeiras idiotas.

Kyu sempre pensava que se fosse professor, sua sala de aula jamais ficaria naquele estado. Ele passaria provas dificílimas e os obrigaria a estudar e ficarem calados. Seria o tipo de professor que não teria dó nenhuma de reprovar alunos desleixados. Kyuhyun ainda divagava sobre isso quando o sinal tocou e outro professor entrou, o que ensinaria a eles física. Ao menos uma matéria mais emocionante para o adolescente.

O primeiro dia de aula sempre era o mais tranquilo, portanto parecia passar mais rápido. O intervalo de Kyu fora relativamente tranquilo. Ninguém derramou suco em suas vestes, ou gritou para ele ir para lugares desagradáveis. Ele conseguiu comer em paz e depois tomar alguns minutos de sol, enquanto lia um novo romance que havia comprado, e mergulhava em um mundo irreal que jamais o pertenceria.

Quando a última aula chegou, Kyuhyun suspirou satisfeito. Provavelmente ele iria embora sozinho, uma vez que sua irmã iria para a casa de uma de suas muitas amigas. Kyu não se importava, gostava da solidão e de caminhar em silencio, repassando em sua mente as letras de suas musicas favoritas ou as melhores cenas de romance de seus livros. E é claro, ele mal via a hora de voltar para seus videogames.

Kyu ainda pensava sobre isso quando a diretora entrou na sala, com seu ar pomposo e seu terninho de tom pastel. E em seu encalço um rapaz de pouco mais de vinte anos. Ele era lindo. Ele trajava uma calça social que adornava muito bem seu corpo musculoso, além de uma camisa branca de manga comprida. Por cima, um terno cinza e sapatos pretos e muito bem lustrados. Os cabelos estavam penteados de lado, dando a ele um ar severo.

A diretora falou algo sobre aquele ser o novo professor, mas Kyu não conseguiu prestar atenção. Enquanto à sua frente ele abria a pasta e retirava uma caixa com giz e um apagador, seu perfume cítrico invadia suas narinas e o envolvia. O professor colocou no rosto um par de óculos com armação quadrada que o deixava ainda mais charmoso, e finalmente olhou para a turma, enquanto a diretora o desejava boa sorte e saía da sala com uma reverência.

Ele não deixaria transparecer, mas aquela era sua primeira aula, a primeira como professor contratado e recém-formado. Ele dera várias outras como aprendiz, sempre sob supervisão de seu orientador, e era a primeira vez que pisava em sala de aula como responsável por sua matéria. Matemática. Siwon primeiramente analisou a sala de aula, seu olhar recaiu sobre as fileiras, sendo que o garoto a sua frente chamou-lhe a atenção por seus olhos amendoados e profundos.

Ele via todo tipo de aluno à sua frente. As meninas em pequenos grupos que cochichavam entre si, os atletas debochados e pouco estudiosos, os tímidos, os dorminhocos e finalmente, o garoto da primeira fileira, atento, esperto, a espreita de suas primeiras palavras. Siwon girou em seus calcanhares e com sua letra encurvada e bem desenhada ele colocou a data no quadro, e seu nome logo abaixo.

Quando ele voltou-se novamente para a turma eles estavam silenciosos e esperavam por sua apresentação. Siwon contornou sua mesa e apoiou os quadris sobre esta, repousando as mãos ao lado de seu corpo. Os alunos agora o analisavam, apesar de ainda não saberem o que pensar, eles pareciam ansiosos diante de seu silencio, o que não demoraria a ser quebrado.

– Bom dia, meu nome é Choi Siwon, me chamem de professor Siwon. Eu estou substituindo o professor DongHo que agora vai aproveitar sua aposentadoria. Eu vou pedir para vocês se apresentarem, mas antes quero deixar algumas regras claras. Eu sou professor de matemática e esta é uma ciência exata e que exige concentração. Nem todo mundo tem aptidão para os números, e é por isso que eu espero o máximo de esforço de vocês. Eu farei provas quinzenais, cada qual valendo uma porcentagem da nota e a dificuldade dessas provas será de acordo com o conteúdo abordado. Eu aceitarei todo tipo de pergunta de muito bom grado, mas não vou admitir nenhum outro tipo de interrupção na minha aula. O meu sistema é assim, a cada bobagem que vocês fizerem, eu acrescento um exercício a mais na prova, quanto mais exercícios menor a chance de vocês tirarem uma boa nota, então vai ficar a cargo de vocês. Lembrando que se um fizer, todos pagam.

Kyuhyun achou o sistema do professor Siwon injusto, afinal, ele jamais daria motivos para colocar outro exercício na prova, no entanto, ele não parecia o tipo de professor disposto a negociar seus métodos. Kyu olhou com desgosto para seus colegas que cochichavam reclamações entre si, o que não parecia de forma alguma incomodar o docente. Siwon então olhou para o primeiro aluno da fileira da direita e voltou a falar:

– Começando por você, eu quero que se apresentem, digam seu nome, idade e a sua matéria favorita.

Siwon concluiu exibindo um sorriso discreto apenas com o canto dos lábios. O primeiro aluno se levantou e se apresentou, seguido por sua fileira, em sua maioria meninas. Kyuhyun se irritou ao vê-las afirmarem que gostavam de matemática, enquanto ele sabia que elas mal saberiam somar dois mais dois, a menos que esse fosse o numero de garotos que beijaram na última festa.

No entanto, ele não iria se manifestar para desmentir meninas que também repararam na beleza do docente. Kyu não tinha duvidas de que sua matéria favorita era matemática e ele iria comprovar isso por meio de suas notas, independente da dificuldade da prova. Ele era bom naquilo, mas acima de tudo ele era esforçado e sabia que seu intelecto poderia surpreender o professor Siwon. Quando chegou a vez de Kyuhyun, alguns alunos cochicharam e riram. Siwon ergueu o olhar um tanto ameaçador, mas logo permitiu que o garoto se apresentasse:

– Meu nome é Cho Kyuhyun, eu tenho treze anos e a minha…

– Viadinho! – Um dos alunos do fundo da sala gritou, fazendo os outros rirem.

– Silêncio!! – Disse Siwon em voz alta e rouca. – Esse é o tipo de coisa que não será admitida na minha sala de aula! Espero que estejam preparados para um longo dever de casa hoje. Por favor, Kyuhyun, prossiga.

– Minha matéria favorita é matemática.

Kyuhyun falou baixo e atropelado, sendo que Siwon apenas entendeu a última palavra. O rapaz se sentou novamente, olhando para sua carteira diante de tal constrangimento. Era por isso que ele era conhecido por toda a escola, sua sexualidade era também o carma de sua adolescência. Siwon não entendeu a chacota, mas por alguns instantes sentiu compaixão pelo garoto tímido a sua frente.

Kyuhyun somente levantou o olhar novamente quando as apresentações terminaram e como o prometido, Siwon passou uma lista enorme de exercícios. Eram equações básicas que eles já deveriam saber, mas que ele precisava avaliar. Afinal, não poderia começar função de primeiro grau sem saber se eles sabiam fazer somas, subtrações e divisões básicas. E lá se ia a tarde de Kyuhyun em frente ao seu videogame.

Afinal, era uma boa causa. Ele queria surpreender e agradar o professor Siwon, se sobressair diante daquelas meninas que afirmaram serem boas na matéria que ele lecionava. Kyu terminou de copiar e logo em seguida o sinal tocou, indicando o fim da aula. Siwon fitou o garoto sair sem se despedir de ninguém e por alguns instantes ele teve a impressão de que fora apenas aquele aluno que copiara toda a lição.

Siwon deixaria claras as consequências para quem não entregasse a tarefa completa. Ele arrumou seus materiais e de lá, seguiu para a sala dos professores onde continuaria a montar as provas daquele trimestre e questões extras para cada indisciplina. Enquanto sua mão percorria o papel escrevendo problemas matemáticos, o menino da sala anterior voltou-lhe a mente.

Siwon soltou a caneta sobre o papel já cheio de problemas matemáticos e se espreguiçou enquanto voltava a pensar no menino de olhos amendoados. Os colegas de sua sala o acusavam de ser homossexual, seria verdade? Ele não tinha trejeitos afeminados como seu amigo Donghae. No entanto, ele mesmo era homossexual e também não tinha modos femininos.

Kyu parecia um menino discreto, se tivesse um segredo como esse, como ele o teria deixado escapar? Claro que aquilo era apenas uma suposição e talvez a orientação sexual do menino fosse outra. Siwon riu discreto ao pensar em tal possibilidade, mas logo foi desconcentrado por uma mensagem de texto em seu celular, de Hyukjae o apressando para que eles fossem juntos a agência de viagens, já que o rapaz havia ganhado uma viagem e preparava uma surpresa para seu namorado.

Siwon deixou a escola com vários exercícios e provas adiantados. Estava tudo devidamente organizado para suas aulas seguintes e ele estava animado com seu novo status de professor.  Ele entrou em seu carro já não tão novo e seguiu para junto de seus amigos. Seria a última semana com tempo para eles, logo aquela escola e seus trabalhos extras tomariam toda a sua semana.

Kyuhyun chegou em casa apressado e jogou seus cadernos sobre a cama, afim de fazer sua tarefa de casa. Seu quarto era simples, e tinha muitos livros para um menino de sua idade. O cômodo ainda estava pintado de azul claro, desde a sua infância, no entanto as estantes não continham mais brinquedos. Um pôster do jogo Starcraft adornava sua parede logo ao lado do grande armário.

No chão havia uma televisão pequena e antiga, na qual um de seus consoles de videogame estava conectado. Sobre a grande escrivaninha estava um computador também antigo que ele herdara de sua noona. Kyuhyun tinha a intenção de passar a tarde entre um daqueles jogos, mas tinha algo mas importante a fazer. O adolescente tirou os sapatos e o uniforme escolar, o trocando por roupas mais confortáveis e então tratou de atacar a geladeira.

Kyuhyun voltou para seu quarto com um sanduiche em uma mão e um copo de suco de laranja na outra. Ele se acomodou em sua cama, afastando o único adorno infantil de seu quarto, uma boneca. Ele havia ganhado aquele brinquedo depois de muito chorar e implorar, e não tinha coragem de se livrar dela. Fora sua companheira em noites de tempestade quando criança e o que ele abraçou quando tudo deu errado no ano anterior.

Kyuhyun deixou o sanduiche em seu colo e abriu seu caderno, no qual, com a letra corrida e pouco caprichada ele anotou as equações pedidas pelo professor. Seu olhar repassou sobre elas e ele percebeu que deveria copiar novamente com uma letra mais legível. Kyu terminou de comer com alguma pressa e deixou seu suco para depois, enquanto voltava sua concentração para os exercícios.

Ele colocou o par de óculos no rosto e com calma ele copiou cada um daqueles exercícios, os organizando apropriadamente nas folhas. A tarde se passou sem que ele percebesse, enquanto resolvia aqueles exercícios sem grandes dificuldades. Sua demora foi devido as muitas vezes em que ele conferiu suas contas, na tentativa de se certificar que estavam corretas. Apenas dois resultados deram divergentes, e ele se obrigou a refazê-los mais vezes, com calma.

Kyu sabia que não teria tanto tempo assim em uma prova, ou em exercícios em sala de aula, mas ele estava aproveitando o fato de que somente Siwon dera-lhes dever de casa, como castigo pela chacota durante sua apresentação. Kyu não se importava com exercício extra, até gostava de se ocupar com matemática a tarde toda, mas se incomodava com as brincadeiras sem graça de seus colegas. Sorte a dele que o professor também não via muita graça naquelas piadas.

Logo que terminou seu exercício, Kyu arrancou as folhas e as grampeou uma na outra, enquanto ouvia sua irmã batendo a porta e o chamando pelo nome do andar de baixo. Ele gritou de seu quarto que estava fazendo lição e ela logo correu para encontra-lo. Ahra agora usava um batom rosa, provavelmente emprestado de uma de suas amigas. A garota apenas checou pela porta se ele estava bem e então foi para seu próprio quarto.

Kyu gostava muito de sua irmã e se dava bem com ela. Talvez fosse mesmo seu lado feminino que gostasse de sua companhia. No entanto, ela era mais velha, portanto não tinham muitos assuntos em comum. Eles conversavam pouco, mas tinham sua maneira de se entender e resolver seus problemas. Mesmo quando eram crianças e Kyu roubava-lhe as bonecas para arruma-las, eles se entendiam.

Kyu deixou seu trabalho impecável e quando sua mãe chegou, ele a entregou para que ela também corrigisse. Ela o avisou que iria ler com calma depois do jantar, e ele voltou para seu quarto a fim de dar atenção ao seu videogame. O garoto passou o começo da noite em frente a sua televisão, sentado sobre um tapete atento a tela. Sua mãe veio chama-lo já mais tarde para o jantar, quando seu pai já também se encontrava em casa e o entregou seu exercício o avisando que não encontrara nenhum erro.

Seus pais sempre foram pessoas demasiadamente ocupadas. Seu pai era gerente de uma loja de departamentos, enquanto sua mãe contadora de uma empresa de porte médio. Ele sabia que havia puxado o talento para os números dela, enquanto a sociabilidade de seu pai ficou com Ahra. Sua família não era perfeita, mas Kyu não tinha do que reclamar. Seus pais não pegavam no seu pé, afinal ele não dava-lhes motivos. Ahra tinha seus namoradinhos escondidos, mas Kyu sabia guarda bem seus segredos.

Kyuhyun sentou com sua família em frente a televisão depois do jantar. Todos cansados demais para conversar. Ele foi o primeiro a se despedir e voltar ao seu quarto, pois estava sonolento demais para prestar atenção na programação. Kyu repousou sua boneca na estante ao lado do porta-retratos de sua família e finalmente se acomodou em sua cama, adormecendo quase imediatamente.

Na manhã seguinte, enquanto Kyu ainda acordava preguiçoso e seguia em direção ao banheiro para tomar um banho rápido, Siwon já lia seu jornal com uma xícara de café em mãos. O professor saiu muito mais cedo de casa, pois precisava preparar algumas coisas na escola antes de partir para suas aulas. Quando ele chegou ao colégio, este ainda estava vazio, exceto por uma secretária e a faxineira. Siwon olhou para dentro da sala que dera aula no dia anterior, mas ela continuava vazia. Ele mal esperava para voltar a dar aulas ali.

Enquanto Siwon se preparava para seu dia, Kyu insistia para sua noona que eles deveriam sair mais cedo pois ele tinha algo a fazer. Ela aceitou depois de muito reclamar, mas estranhou quando Kyuhyun tomou um caminho diferente. Ela saiu em seu encalço, e não se demorou a chegar onde o garoto queria. Kyu parou no caminho, em uma modesta venda que continham as mais apetitosas e frescas frutas que ele conhecia.

O garoto escolheu a dedo três maçãs, duas vermelhas e mais reluzente e suculenta maçã verde que ele conseguiu visualizar. Uma delas ele ofereceu a sua irmã e a outra ele foi saboreando enquanto caminhava para a escola. Estava doce e úmida como ele gostava. Apenas a maçã verde ficou guardada em uma embalagem em sua mochila, juntamente com o que ele comeria no lanche na manhã. Ele não queria que sua irmã soubesse que aquele era um presente.

O espírito com o qual Kyu entrou na escola no segundo dia foi muito diferente do primeiro. Ele tinha uma boa razão para estar ali. Seu dia melhorou ao perceber que seus colegas haviam permanecido na quadra da escola ao invés de ir para a sala, o que dava-lhe mais alguns momentos de paz. Kyu se acomodou em sua carteira e silencioso terminou de comer sua maçã. Ele queria que aquele dia passasse rápido e a última aula chegasse.

O sinal tocou e Kyuhyun apenas se levantou para jogar os restos da maçã no lixo. Pela janela, ele viu o professor de matemática deixar a sala dos professores, com a mesma pasta, mas roupas de cores diferentes, ainda sociais. Kyu voltou a se acomodar em sua carteira esperando seus colegas que chegaram fazendo uma algazarra na sala. A professora de gramática levou pelo menos quinze minutos para acalma-los antes de efetivamente começar a chamada.

As aulas se arrastaram, lentas, maçantes, como se o tempo se recusasse a continuar passando. Kyu tentou ater-se as matérias, mas a medida que a aula de matemática se aproximava, ele ficava mais ansioso. Ele queria ver seu professor bonitão, e seu rosto esquentava só de se lembrar dele. Kyu animou-se quando o último sinal bateu, assim como seus colegas, mas por motivos diferentes.

O professor levou alguns minutos para entrar na sala agitada. Como no dia anterior ele estava com ar sério, apenas não carregava seu terno consigo. Sua camisa estava com as mangas dobradas e ele se concentrava em arrumar sua mesa. Quando ergueu seu olhar, a sala estava novamente uma bagunça e nenhum daqueles alunos parecia se importar com sua presença ali. Siwon retirou o livro que usaria naquele dia e o repousou sobre a mesa, antes de dizer com a voz calma e grave:

– Bom dia.

Apenas Kyuhyun o respondeu, educadamente. Os alunos caminhavam pela sala e riam entre si de assuntos aos quais o professor estava alheio. Siwon não estava disposto a tolerar aquele tipo de comportamento e para chamar a atenção para si, bateu a palma de sua mão firmemente contra a mesa de mogno. Mesmo Kyuhyun que estava atento ao mais velho se assustou com o baque, enquanto os alunos voltavam-se para ele.

– Bom dia. – Repetiu Siwon.

– Bom dia. – Responderam os alunos timidamente.

– Eu vou começar a chamada agora, e quem não estiver sentado e com o livro aberto na página três vai levar a primeira falta do ano.

Kyuhyun foi o único que agiu com calma enquanto pegava seu livro e o abria na página indicada. O barulho de carteiras sendo arrastadas e passos apressados tomou conta da sala, enquanto Siwon não parecia estar sendo afetado pela movimentação frenética do local. Sem pressa, ele abriu a lista de chamadas e começou a ditar os nomes, esperando apenas poucos segundos pelas respostas.

A chamada foi feita rapidamente e os alunos que não a responderam sequer protestaram contra o método do professor. Siwon parecia mais mal-humorado do que no dia anterior e aquilo deixou Kyuhyun ainda mais ansioso. Ele se levantou e fez algumas anotações no quadro, enquanto a sala se mantinha silenciosa apenas copiando o que ele escrevia. Logo que terminou, Siwon voltou-se para a sala e apontou o que estava no livro.

Ele apontou um ou dois alunos para que fizessem a leitura do que estava ali e em seguida voltou para o quadro, a fim de se ater a teoria. Kyu estava concentrado nas novas formulas e equações que não pareciam tão absurdamente difíceis aos seus olhos. O garoto se concentrava ainda que achasse seu professor inevitavelmente bonito. Se ele tivesse mais alguns anos, certamente namoraria ele.

Siwon findou a aula pouco antes de o sinal tocar. Ele sentou na sua mesa e fechou o livro que usava enquanto o resto da sala guardava seus pertences. Kyuhyun retirou de sua mochila seu dever de casa e escondido, a maçã verde ainda guardada ali. Ele a segurou em seu colo, por baixo da mesa, esperando que o docente não reparasse ainda.  Kyu começava a achar que ele havia esquecido o dever de casa, quando o professor voltou a falar.

– A tarefa que eu passei ontem, eu quero que me entreguem.

– Professor, eu fiz só no caderno! – Protestou a menina atrás de Kyuhyun.

– É só arrancar a página e colocar o seu nome, não é difícil. – Afirmou Siwon. – Vale até um ponto na média final de vocês, se vocês acertarem tudo.

– Você não avisou isso, professor. – Reclamou a mesma menina, fazendo Kyuhyun revirar os olhos.

– Me agradeça. – Disse Siwon. – Foi um ponto inteiro só por equações básicas que vocês estudaram a vida toda. Um ponto quase de graça. Vocês também tem que aprender, que quando eu passo uma tarefa de casa, é obrigação de vocês fazerem. Não esperem uma recompensa em cada tarefa, mas esperem uma punição se não fizerem.

A menina chegou a inspirar profundamente para voltar a discutir, no entanto, o sinal finalmente tocou. Alguns colegas de Kyuhyun não fizeram a tarefa e se aproximaram com justificativas. Siwon foi compreensivo com a maioria deles, ainda assim, perderam a oportunidade de tirarem uma nota melhor em uma matéria nada fácil. Kyuhyun foi para o final da fila e esperou seu momento certo.

Uma das meninas se aproximou, um tanto receosa e deixou sua tarefa sobre a mesa, juntamente com uma bela maçã vermelha. Kyuhyun sabia que ela não era esforçada, tampouco era boba a ponto de não reparar no belo professor. Siwon que se despedia de um de seus alunos, finalmente reparou na maçã sobre sua mesa e a jovem ao lado com um sorriso simpático.

– Posso te perguntar o que significa isso?

– É um presente, professor.

– E você acha que isso vai suprir a sua falta de atenção nos cálculos?

– Não, professor, eu…

– Onde está o resto dos exercícios? – Disse Siwon ao virar a pequena folha e vê-la em branco.

– Eu não tinha certeza de como…

– Quer me dar um presente? – Interrompeu Siwon. – Passe de ano.

Kyuhyun se levantou, enquanto a garota ofendida deixava a sala, já não achando o professor mais tão atraente. Siwon começou a reunir os trabalhos, ainda que não tivesse grandes expectativas para aquela turma. O último aluno se aproximou de sua mesa e ele tinha certeza que ouviria outra desculpa esfarrapada. “Meu irmão riscou meu trabalho, eu deixei cair na poça, ficou anotado em outro caderno”, era o que ele esperava.

No entanto, o que foi repousado em sua mesa foi um trabalho caprichado, completo, com uma letra legível e todas as equações exatas. Aquele deveria ser o comum da sala de aula, no entanto, Siwon se surpreendeu com um trabalho tão bem feito, mesmo em sua simplicidade. Curioso, o professor começou a correr o olhar sobre as respostas dele, mas logo percebeu o garoto parado a sua frente.

Kyuhyun puxava o ar pela boca algumas vezes, como se estivesse disposto a falar. A maçã verde estava escondida atrás de seu corpo, em sua mão que a segurava com firmeza. Siwon não aceitaria seu presente, e o diria para passar de ano. Claro que Kyuhyun passaria de ano, mas não tinha como provar ao professor sua aptidão com os números, não com um único exercício. Como o nervoso garoto não se manifestava, Siwon guardou os exercícios e o perguntou:

– Precisa de alguma coisa?

– É só… – Kyuhyun estendeu-lhe a maçã, enquanto seu rosto ganhava um tom enrubescido.

– Eu não aceito presentes, Kyuhyun, não fora de época. – Explicou-lhe Siwon.

– É um presentes de boas vindas. – Explicou Kyu. – Eu sei que pareço um bobo por te dar, mas pareceria mais ainda se voltasse com ela embora.

– E deu presentes para todos os professores? Afinal, todos merecem boas vindas, você não acha?

– Só você ensina matemática. – Ressaltou Kyuhyun.

Siwon chegou a soltar um riso discreto ao ver o outro deixar a maçã sobre a mesa. Kyu era adorável, mas parecia o tipo de aluno disposto a dar atenção devida a sua matéria. O professor pegou a maçã sobre a mesa e suspirou pesadamente, pensando se abriria exceção para ele. Kyu o olhava ansioso, esperando reação do mais velho. Siwon o olhou por cima dos óculos de armação grossa e escura e disse calmamente:

– Está bem, eu aceito a sua maçã.

– Aceita?

– Mas eu não quero ganhar mais nada, e não quero que espalhe por aí que eu abri uma exceção.

– Eu nem tenho para quem contar. – Disse Kyuhyun abrindo-lhe um largo sorriso.

– Ainda assim. – Avisou-lhe Siwon. – Quer me dar um presente?

– Já sei. – Interrompeu Kyuhyun. – Passe de ano.

– Isso mesmo.

Siwon sorriu apenas com o canto dos lábios, enquanto o menino se despedia e saía da sala com ar satisfeito. Kyu saiu sem pressa, exibindo um sorriso discreto que não foi captado pelo docente. O garoto estava feliz, sentia-se um passo a frente, pois o professor dispensara a aluna anterior e no final das contas aceitou sua maçã. Claro, ele não tinha intenção de continuar a dar ao mais velho outros mimos, apenas faria o que ele pediu.

Siwon deixou a sala, carregando a lista de exercícios consigo e é claro, sua reluzente maçã verde. Ele se acomodou na pequena biblioteca, pois era mais silenciosa do que a sala dos professores. Ele deixou suas coisas sobre a grande mesa e começou a reunir os livros espalhados ali. Eram livros de gramática infantil e alguns de literatura. Siwon fez uma pilha com eles e se acomodou no local.

Enquanto juntava os livros, Siwon pensava que fazia algum tempo que ele não saboreava uma maçã verde. A sua maneira, o menino havia sido criativo em seu presente. Siwon seguiu ao banheiro da biblioteca, onde lavou a pequena fruta e finalmente a saboreou. Estava tão gostosa quanto bonita. Ele se sentou à mesa, ainda achando engraçadas as reações de seu aluno teimoso.

O trabalho de Kyu estava por cima dos outros e Siwon o pegou por primeiro. Seu olhar repassou sobre a folha, e logo ele pegou sua caneta vermelha e tratou de corrigir o trabalho. Kyuhyun havia garantido seu ponto extra com facilidade e aquilo agradou o professor. Um aluno dedicado sempre agradava aos seus professores. Ele terminou a correção do trabalho do menino, ao mesmo tempo em que terminava de saborear sua maçã.

Siwon terminou em uma hora a correção daquele exercício e repassou suas notas para seu caderno de anotações. Ele tinha tudo perfeitamente organizado, e logo que suas tarefas findaram, Siwon organizou os livros em suas prateleiras e depois tratou de ir para sua faculdade, onde teria reunião com um de seus professores. Ele fora indicado como um consultor de uma grande empresa sobre suas ações na bolsa coreana, era um bom dinheiro extra.

Enquanto dirigia, Siwon pensava em seu dia na escola, mais especificamente no final da última aula. Quando parou ao sinal, ele olhou para a pasta repousada no banco do passageiro e o exercício de Kyuhyun aparecia por baixo da transparência. A letra bonita e delicada descrevia o nome curto e fácil de lembrar, do menino tímido, mas de olhar intenso. Aqueles olhos grandes e amendoados.

Siwon acordou de seus pensamentos com a buzina de um carro atrás do seu o alertando que o sinal abrira. Ele voltou sua atenção para o transito, por mais que sua mente cogitasse alguns absurdos. Siwon tinha uma sensação estranha ao acreditar que Kyu seria o primeiro aluno a ter uma paixonite adolescente por ele. Era estranho demais pensar em algo assim já no segundo dia de aula, ainda mais se tratando de um menino.

Siwon riu ao se lembrar de Hyukjae dizendo, pouco antes do início das aulas, que iria rir das meninas que se apaixonassem por ele. O que ele acharia de um menino apaixonado? Seria tão engraçado quanto? Siwon chegou a rir de seus devaneios sobre o garoto. Era apenas um menino tentando agradar o novo professor de matemática, ele não deveria achar mais do que isso.

Não sabia ele que em sua casa, Kyuhyun repassava em sua mente o sorriso discreto de Siwon direcionado para si. Abraçado à sua delicada boneca e deitado sobre a cama, Kyu exibia um sorriso bobo no rosto que não seria visto por ninguém. Arrancar um sorriso do professor fez seu dia mais iluminado, e ele já planejava o que faria o resto do ano para arrancar outros como aquele. Um sorriso discreto, que não durava mais do que poucos segundos, mas destinado exclusivamente para ele.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s